Leandro Miranda Alves

LEANDRO MIRANDA ALVES

 

Cv lattes: http://lattes.cnpq.br/9883547704448526

e-mail: leandro.miranda@icb.ufrj.br

 

Laboratório de Endocrinologia Experimental (LEEx)

Laboratório de Fisiologia Endócrina Doris Rosenthal (LFEDR)

Instituto de Ciências Biomédicas (ICB)

Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

 

Projeto

AVALIAÇÃO DA EXPRESSÃO DE HMGA1, HMGA2, DICER1 E TRBP2 E DOS MICRORNAS LET-7A, MIR-23B, MIR- 34B, MIR-326 E MIR-548-3P EM ADENOMAS HIPOFISÁRIOS E SUA RELAÇÃO COM A INVASIVIDADE E AGRESSIVIDADE TUMORAL

 

Resumo de divulgação científica

Os tumores hipofisários possuem uma taxa de prevalência em torno de 10-15% de todos os tumores cerebrais. Frequentemente são tumores benignos (99% dos casos) sendo comuns na população em geral, sendo diagnosticados muitas vezes acidentalmente em exames de imagem ou autopsia, por isto são conhecidos como incidentalomas, mas também podem ser tumores malignos (câncer, 1% dos casos). Quase todos os tipos de tumores da hipófise têm como conduta médica de primeira escolha a cirurgia. No entanto, a cirurgia não garante a retirada de todo o tumor sendo, muitas vezes necessário o uso de medicamentos que controlem o recrescimento do tumor bem como a liberação do hormônio para o sangue. Algumas vezes os medicamentos utilizados após a cirurgia não são tão eficazes, pois apresentam vários efeitos colaterais e possuem um preço bastante elevado. Por isso, é importante estudar moléculas (biomarcadores) que falem sobre o comportamento tumoral (invasividade e agressividade).


 

Equipe

Mariana Cavalcanti Teixeira Pires – Pós-Doutoranda


 

Colaboradores 

Alice Violante – Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Denise Pires de Carvalho – Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Leonardo Vieira Neto – Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Manuel Farias – Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Maranhão (UFMA)